A NATURALFA
e a Produção Integrada

Através de Técnicos especializados em Produção Integrada, a NATURALFA controla e certifica anualmente mais de 450 Operadores em Produção Integrada.

Desta forma, conseguimos que todos os dias sejam colocados no mercado produtos que são produzidos tendo em conta a preservação do ecossistema agrário e a biodiversidade da fauna e da flora.

Produção Integrada
layers-img-3
certificação Produção Integrada
Produção Integrada
layers-img-3
certificação Produção Integrada

O que é a Produção Integrada?

A produção integrada é um sistema agrícola de produção de produtos agrícolas e géneros alimentícios de qualidade, baseado em boas práticas agrícolas, com gestão racional dos recursos naturais e privilegiando a utilização dos mecanismos de regulação natural em substituição de fatores de produção, contribuindo, deste modo, para uma agricultura sustentável.

O Decreto-Lei n.º 256/2009, de 24 de setembro estabelece os princípios e orientações para a prática.

Quais são os benefícios da Certificação em Produção Integrada?

Certificar os produtos em Produção Integrada com a NATURALFA permite:

  • Comercializar o seu produto com o logótipo da Produção Integrada
  • Aumentar a transparência na forma como o produto é produzido
  • Ter acesso a mercados restritos
  • Fortalecer as relações comerciais na cadeia alimentar
  • Aceder a apoios comunitários

Quem pode ser certificado?

Todos os produtores que cumpram com as Normas da Produção Integrada.

Que produtos podem ser certificados?

  • Produtos Vegetais
  • Produtos Animais

Por onde começar?

O primeiro passo para a certificação em Produção Integrada deve ser conhecer e interpretar as Normas da Produção Integrada.

De seguida, deverá solicitar à NATURALFA uma proposta para a certificação. PEDIR PROPOSTA

A NATURALFA irá orientar e esclarecer todo o processo de certificação, face ao diagnóstico inicial.

Certificar os produtos em Produção Integrada
com a NATURALFA permite:

Comercializar o seu produto com o logótipo da Produção Integrada

01

Ter acesso a mercados restritos

01

Fortalecer as relações comerciais na cadeia alimentar

01

Aumentar a transparência na forma como o produto é produzido

01

Aceder a apoios comunitários

01